VISITE TAMBÉM:
Beatles Brasil (portalbeatlesbrasil.com.br)
Let's Rock! (letsrock.com.br)
Jovem Guarda (jovemguarda.com.br)

quarta-feira, 3 de outubro de 2018

Geoff Emerick, engenheiro de som dos Beatles, morre aos 72 anos


Mais um personagem importante na história dos Beatles se despede. Um ataque cardíaco foi a causa da morte de Geoff Emerick, aos 72 anos. Geoff começou a trabalhar nos estúdios da EMI (que depois seria conhecido como Abbey Road Studios) em 1962 e 10 dias depois já teve a oportunidade de acompanhar a gravação de "Love Me Do" com os Beatles. Durante praticamente toda a carreira discográfica dos Beatles, Geoff esteve presente, com importância cada vez maior nas gravações, à medida que as mesmas se tornavam mais desafiadoras.

Geoff esteve duas vezes no Brasil, sempre para eventos e palestras ligadas à música - a última agora em 2018, para palestras em Porto Alegre. Tinha uma vida muito ativa e estava envolvido em alguns projetos, que se encontravam em plena atividade. Era um usuário assíduo das redes sociais e diariamente curtia várias postagens do Portal Beatles Brasil no Instagram. Sentiremos muita falta daquela sensação agradável de ver seu nome entre os seguidores que curtiram as postagens.

Em junho a revista TRIP realizou uma belíssima entrevista com Geoff Emerick, que é, até o momento, a mais completa e esclarecedora matéria sobre esse grande talento do mundo da música. Confira: https://revistatrip.uol.com.br/trip/um-papo-com-geoff-emerick-engenheiro-de-som-que-trabalhou-nos-discos-mais-experimentais-dos-beatles

Obrigado por tudo, Geoff Emerick!



sexta-feira, 28 de setembro de 2018

Cavern Club comemora 41 anos com evento especial dia 27 de Outubro


O Beatles Cavern Club, mais antigo fã-clube do Brasil, fundado por Luiz Antônio da Silva (Luiz Lennon) em 1977 vai comemorar os 41 anos de atividades com um evento especial, que reunirá 3 bandas quentíssimas da capital paulistas, além de várias atividades, como debates sobre os Beatles, Sorteios de vários brindes (camisetas, chaveiros, revistas, fanzines, bootlegs, canecas etc). É a oportunidade de encontrar uma galera legal, curtir um som e prestigiar o trabalho desse grande pioneiro na divulgação dos Beatles no Brasil.

1º Beatles Day Araraquara dia 06 de Outubro


Siga esse evento no Facebook: 
https://www.facebook.com/events/249584855625819/permalink/304506750133629/

quinta-feira, 27 de setembro de 2018

Vintage Beatles em Pinheiros (SP) dia 28


Tudo que você precisa saber sobre a edição especial do Álbum Branco


A gravadora Universal Music acaba de soltar um boletim informativo sobre o a edição especial do THE BEATLES (1968), álbum duplo de capa branca que entrou para a eternidade com os apelidos carinhosos de White Album e, no Brasil, de Álbum Branco. É sem dúvida o texto mais esclarecedor, em português, sobre o lançamento.

domingo, 16 de setembro de 2018

Egypt Station Alcança o topo da Billboard


Uma ótima notícia para os fãs e para Paul McCartney: seu novo álbum, Egypt Station, acaba de atingir o topo das paradas! Isso mesmo, esse disquinho lindo amarelo e azul é o número 1 em vendas no Top 200 da principal parada de sucessos mundial, ao atingir a vendagem de 153 milhões de unidades nos EUA.

Esta foi a oitava vez dele no topo das paradas em carreira solo, e primeira em 36 anos, já que a última vez havia sido com Tug Of War (1982).

A classificação corresponde às vendagens da semana entre os dias 07 e 13 de setembro de 2018.

Ao contrário do planejado pelo próprio Paul McCartney, nenhuma das 3 músicas lançadas como single (“Fuh You”, “I Don’t Know” e “Come On To Me” é o destaque do disco. No Spotify, principal plataforma de músicas online, a mais tocada é “Back In Brazil”.


sexta-feira, 7 de setembro de 2018

Live Stream: Paul McCartney vai se apresentar ao vivo agora!

Já estamos aqui ligados, aguardando o Secret Gig de lançamento do álbum Egypt Garden, que Paul McCartney está para começar em New York, transmitido ao vivo pelo Youtube. Veja você também:

quarta-feira, 5 de setembro de 2018

Analisando o álbum Egypt Station


Por Guilherme Lentz
Andamento do contato com o "Egypt station": tocando no fundo, enquanto vou trabalhando, porque é o jeito. Minha primeira impressão é de que se trata de um álbum menos comercial, menos pop, menos rock do que o "New"; algo mais puxado para a faceta mais artística e experimental do Paul, apesar de alguns medos que sempre estão em pauta, mas sem também um nível de sofisticação tão alto e uma produção tão caprichada quanto em um "Ram".

"Opening station": até que achei legal, apesar de ela ter sido pensada mais como uma vinheta mesmo, para abrir a ideia da viagem.

"Happy with you": doce e linda

"Who cares": delicinha, com riff contagiante e dançante. Está me lembrando os Eurythimcs. Bem moderna; legal pra caramba!

"People want peace": gostei demais da entrada do refrão depois da introdução. Bonito!

"Hand in hand": baladinha bonita e singela. Curti. Paul com vozinha, muito legal!

"Dominoes": a que estou achando mais tradicionalmente mccartnística até agora, na linha mais pop e melódica do Paul. Obviamente estou adorando!

"Back in Brazil": canção alegre e com uma ginga especial em se tratando do Paul, mas, como esperávamos, não faz tanto jus a nossa riqueza harmônica e melódica. É evidente que o Paul tentou dar uns passos nesse sentido, e em alguns momentos até caminhou bem, mas talvez simplesmente não haja da parte dele um aprofundamento denso o suficiente na música brasileira para sustentar isso. É uma pena; acho que todos já sonhamos com as maravilhas que poderia emergir de um possível interesse do Paul por Tom Jobim ou Clube da Esquina. O que está aqui me lembra um pouco aquele Brasil meio estereotipado dos musicais americanos. De todo jeito, é legal ver o Paul se arriscar nesse caminho e mais legal ainda receber esse homenagem dele. A canção é legal; é apenas que para nós, brasileiros, a expectativa em termos de música brasileira é alta demais.

"Do it now": linda. Estou adorando. Bem melodiosa e com arranjos vocais elaborados, bem ao gosto do Paul. Acho que vai ser uma das preferidas no álbum.

"Caesar rock": a mais descartável até agora, eu achei. Típica canção meio gritada que o Paul compõe em cima de bases improvisadas, para deixar de sobra ou colocar em lado B de single, naquela linha de "Spies like us" e "Oh woman oh why". Gosto dessas criações, mas não são as minhas preferidas deles.

"Despite repeated warnings": canção colcha de retalhos, do jeito que o Paul gosta de fazer. Também gosto de ouvir, mas fico levemente incomodado com o fato de a essa altura isso já ter se tornado uma espécie de receita. Alguns dos segmentos claro que são melhores do que outros, mas o resultado geral é legal e gostoso de ouvir.

"Station II": tão curtinha que quase passou despercebida. Não traz tanto em termos de material novo para a gente ouvir, mas contribui para a paisagem sonora e o conceito do álbum, então está valendo!

"Hunt you down/ Naked/ C-link": também na linha da colcha de retalhos. Bem legal e divertida essa! Bom fechamento para o álbum!

E vou aqui terminando minha primeira audição do "Egypt Station"! Diante da perspectiva de só o ouvir mesmo no lançamento, eu tinha planejado um momento em família, no dia 7, com som de gente. Em vez disso, acabei desviando o tempo de deslocamento e o ouvindo aqui com fonezinho de ouvido de celular nesse intervalo de trabalho mesmo. E, pelo adiantado da hora, corro o risco de não chegar a tempo para o próximo compromisso - certamente vou perder o tão apreciado biscoito com café do lanche! Foi tudo bem diferente do que eu tinha planejado, mas cada experiência tem seu valor, e acho que daqui a muitos anos vou me lembrar desse momento, celebrando o que foi também, a seu modo, uma partilha.

Obrigado a meu querido João De Deus Filho por ter partilhado o link; ao amigo sumidaço José Carlos Almeida por o ter disponibilizado, a minha amada hand in hand Carolina Lentz por ter recebido o link e me mandado mensagem à tarde, aos colegas que estavam num falatório danado e me interrompendo a todo tempo aqui na sala e, claro, ao Paulzinho, dono de casarão com vista para o mar aqui no meu coração, que continua a povoar nosso mundo com belezas e alegrias, apesar de tudo, trazendo para nós todos os dias o tal do "pequeno alívio do sofrimento" de que ele fala tão propriamente em uma dessas novas canções; apenas que, no caso dele, o alívio é grande.

Devo, porém, dizer a ele que meu apetite - me perdoe, Paul - não está saciado! Quero mais! Pode ir colocando na roda aquela versão caprichada com mais canções!

Baixe o álbum Egypt Station, novo de Paul McCartney


Dois dias antes da data anunciada (7 de setembro) alguma boa alma beatlemaníaca fez o favor de colocar o novo álbum de Paul McCartney, Egypt Station, completo, para download em mp3. Para baixar, clique no link do Mediafire (arquivo zip com 16 arquivos compactados).

Atenção: se você é um verdadeiro fã de Paul McCartney, ouça as mp3, mas faça um esforço também por comprar o álbum físico (CD ou LP). De preferência durante a próxima semana, para que possamos colocar o novo álbum nas paradas.

Download: http://www.mediafire.com/file/cnu0s1gdn0w9zln/PMEgyptStation2018.zip

quinta-feira, 2 de agosto de 2018

Paul McCartney pode ter mentido ao dizer que compôs "In My Life"


Considerada pelos fãs como uma das mais queridas do repertório dos Beatles. Lançada em 1965 no álbum Rubber Soul, sempre foi considerada uma música "do John Lennon", uma vez que várias das canções da mais nobre discografia da história foram compostas não pela dupla Lennon/McCartney em real colaboração, mas sim feitas individualmente por um ou por outro.

Em algumas entrevistas revisionistas, Paul McCartney tem afirmado que ajudou muito na composição desta música, tendo feito a melodia sobre uma letra e ideia apresentada pelo parceiro. Já o próprio Lennon, sempre admitiu uma pequena colaboração de McCartney, mas apenas numa ponte (trecho de ligação entre uma parte e outra da música).

Agora uma dupla de pesquisadores resolveram dar um parecer "científico" à questão. Mark Glickman, que ensina estatística na Universidade de Harvard, e Jason Brown, que leciona matemática na Universidade de Dalhousie - realizaram um científico com o intuito de descobrir as reais colaborações de Paul McCartney em "In My Life". A conclusão é de que a coisa está só para Lennon mesmo.

Na pesquisa foram listadas as músicas dos Beatles feitas entre 1962 e 1966 e comparadas com "In My Life", com base em melodias, transição de acordes e frequência. "A ideia básica foi converter uma música em um conjunto de estruturas de diferentes dados passíveis de estabelecer uma assinatura em uma abordagem quantitativa. Pense na decomposição de uma cor em seus componentes constituintes de vermelho, verde e azul com pesos diferentes", explicou Mark Glickman, em entrevista à NME.

RESULTADO - Os professores concluíram que a chance de "In My Life" ter sido composta por Paul McCartney é de 0,018%. "Isso significa, basicamente, que é bem convincente que seja uma música de Lennon. McCartney está com lembranças erradas", afirmou Glickman.

O resultado do estudo vai de encontro com o que John Lennon dizia: Paul McCartney ajudou a compor a ponte, mas não tudo. "A letra toda já estava pronta antes de Paul ouvi-la. Em 'In My Life', sua contribuição melódica foi a harmonia e a ponte", disse Lennon ao escritor David Scheff na década de 1970. Paul McCartney, por sua vez, disse em 1997 a Barry Miles que Lennon não tinha uma melodia para "In My Life" e que, por isso, pediu para trabalhar em cima disso. "John estava com um mellotron, sentei e fiz uma melodia. Lembro de compor toda a melodia. E soa muito ao meu estilo, se você analisar", disse Macca, na ocasião.

quarta-feira, 20 de junho de 2018

Veja aqui os dois novos clipes de Paul McCartney


O mundo acaba de ganhar mais uma data importante: hoje, 20 de junho de 2018, Paul McCartney acaba de postar suas duas novas músicas na sua conta do Youtube (também em outras plataformas). São dois "Lyric vídeos", ou seja, vídeos animações com as letras. Pode se dizer que são os dois videoclipes do novo single de Paul McCartney. O álbum inteiro, EGYPTIAN STATION, está sendo anunciado para 07 DE SETEMBRO.

domingo, 10 de junho de 2018

O que significa esse símbolo?


Hoje o perfil oficial de Paul McCartney no Instagram amanheceu com apenas uma publicação: esse desenho misterioso, preto no branco, sem nenhuma explicação ou legenda. Apenas isso. Instantaneamente, milhares de comentários, a maioria com "WTF?", começaram a ser postados.

Afinal, o que será isso? Seria alguma pista sobre o novo álbum? Aguardemos o próximo movimento desse esquema de marketing altamente minimalista.

Paul McCartney no Instagram:
https://www.instagram.com/paulmccartney/